Home / GALPÕES INFLÁVEIS OU ESTRUTURADOS? ENTENDA…

GALPÕES INFLÁVEIS OU ESTRUTURADOS? ENTENDA AS DIFERENÇAS

Na hora de buscar onde armazenar, é importante entender o que cada tipo de estrutura oferece, optando por qualidade sem deixar de pensar em custo-benefício.

Para o   segmento de açúcar, por exemplo, uma das primeiras opções em mente são os galpões infláveis, que podem parecer vantajosos pelo baixo custo. No entanto, a verdade é que eles acabam sendo complexos e inseguros.

Os galpões infláveis exigem a instalação de uma antecâmara, o consumo constante de energia elétrica, necessitam de um motor reserva, entre outros requisitos. Além disso, há outras dificuldades como a possibilidade de ocorrer condensações de água na parte interna da cobertura, maior burocracia para aprovação do projeto, e claro: todos estes fatores geram um alto risco de trabalho, saúde e segurança.

Aparentemente, o custo do inflável seria mais vantajoso, mas as perdas podem ser até 10% maiores.

Já o galpão estruturado possui maior performance na qualidade dos produtos durante a armazenagem, com um maior controle de temperatura, segurança e facilidade da operação permitindo a realização do FIFO (primeiro produto que entra no armazém deve ser sempre o primeiro a sair) evitando o vencimento e perdas.

Quem compara escolhe, com soluções completas e customizáveis os Galpões Tópico oferecem o melhor custo-benefício.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Blog

Armazenagem é principal desafio para indústria de bebidas na alta…

Momento chave para indústria de bebidas, o mês de novembro costuma

Galpão de Lona – Proteja sua safra com economia e…

O dinamismo do mercado tem exigido cada vez mais agilidade e

Relatório de Atividades da Tópico: sustentabilidade precisa fazer parte da…

Diante de tantas mudanças ambientais, comportamentais e sociais nos últimos meses,

Receba nossa newsletter